Google+ Followers

sábado, 31 de dezembro de 2016

QUANDO MEU AMOR CHEGAR

Quando meu amor chegar,
me encontrará com rugas diversas
e um afeto sem medidas no olhar.

Entrará na casa ventilada e fresca,
com aroma de alumbramento no ar.

Trará paz e   doçura no abraço
e, sem defesas, irei me encantar.

Terá nos meus braços o apego mais fundo
e em meu verbo um resquício de infância
que o tempo inclemente não conseguiu me roubar.

Minhas mãos de carinho terão tanta entrega,
meu beijo e meu corpo terão tanta sede,
que de todas as dádivas a farei a maior.

Deitará a cabeça em meu peito e será tão menina,
absorta em canções tão bonitas de ouvir.
Terá os olhos perdidos no teto  do quarto,
sem saber distinguir o viver do sonhar.

Quando meu amor chegar,
achará pronta a casa pro seu aconchego.
Afagando os lençóis, tocará levemente
em arbustos sedosos, sublimes do Céu.

Quando meu amor chegar,
iremos cantar e dançar casa adentro,
espalhar alegria por todos os ventos
degustar a delícia de viver para amar.


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

TERRA MEGERA

Adeus, esperança...
Segue pra paragens bem distantes
porque em mim há muito tempo, esperança, não estás. 
Vê se para de iludir os meus irmãos inconscientes.
Vai, e eu fico aqui sem norte,
tão perdido, massacrado, forasteiro, nesta terra onde nasci.
Parte agora, esperança, porque aqui não tens lugar.


Esta terra é salafrária e não conhece compaixão.
Esta terra é tão iníqua e maltrata os próprios filhos
como fossem enteados oriundos da traição.
Ai,  a terra é tão madrasta a nos olhar com olhos maus.
Ah, se fico nesta terra é que é tarde pra partir
e abraçar-te feliz em outros chãos.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

SABORES E AROMAS

Ela é tão docemente bonita,
que, eu acho, tem manga no hálito,
na boca, sabor de baunilha,
na pele, cheiro e gosto de pera
e nas íntimas partes, odor de jasmim.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

A REVOLTA E O AMOR

Hoje eu queria fazer uma revolução
mundial
e fazer valer minha visão de bondade e justiça,
e depois beijar longamente a mulher que quero,
enquanto acariciasse suavemente a minha cadela,
e eternizar este momento sublime de paz.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

POEMA DRAMÁTICO

Miro o espelho e avisto os acenos
da velhice que vem me chegando.
Vejo em ti que a juventude saltita
e parece contagiar o universo
da alegria do teu rosto travesso.
Eu te vejo menina e tão viva
e te amo com ternura infinita.
Mas faço que saias, te evadas
de um modo que é qual sorrateiro,
como eu fora morrer entre as águas
e te desse a jangada que salva,
pra poderes brincar pelos dias.

Ah,  pousar nos joelhos meu rosto
e chorar convulsivo, abundante,
num afã de morrer brevemente...
Mas me calo, resigno, ciente que evito
um naufrágio adiante maior.

Amanhã serei sombra tão vaga, tão leve
de um sentir que tiveste tão pleno.
Mas jamais serei teu estorvo,
o teu tédio, a canseira, teu fardo.
Te amo, mas fico, silente, quieto:
te deixo,  tão bela, tão minha,  partir.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

VEM, VIDA!

Vem, ah(!), vida em plenitude, me renasce,
Vem brotar do olhar mais doce da morena
Ou de um tempo claro e novo que amanheça.

Vem, me brilha como lua ou sóis, estrelas,
Vem dançar e saltitar aqui no peito.
Ai, não deixes que a tristeza me aquebrante
E arrefece toda dor que em mim lateja.

Vem pulsante qual meu peito, como as veias,
Vem vibrante como as tardes mais festivas,
Vem, me traze o canto, as cores da alegria
E me faze assim feliz qual renascesse.

sábado, 9 de abril de 2016

A MULHER MADURA

A mulher madura
que se decota,
que mostra o ventre,
que exibe as coxas,
que põe biquíni,
que se desnuda...
Ah, mas como ela é bela
nas suas formas já não mais tão perfeitas!

A mulher madura...
Ah, mas como acende
os meus instintos de macho
e os meus enlevos mais juvenis!

domingo, 7 de fevereiro de 2016

O METAFÍSICO E A POESIA

Quando um homem se comove por um poema que lê ou música que escuta...
quando ainda o toca um filme, um conto, romance,  peça, uma novela
ou ainda uma lembrança emocionante que assalte-lhe a memória...
quando a comoção lhe bole fundo, e ele se desnuda dos seus ódios e torpezas,
das maldades, das vilezas e pequenezes tão peculiares...
quando a emoção o faz humilde, inofensivo, terno, um ser purificado...
quando o arrebata um sentimento que o desvanece docemente...
é a poesia que opera o milagre que atribui-se aos santos e aos deuses improváveis
e lhe traz do fundo d'alma o anjo puro e emocionado que ele tem dentro de si.
E é a poesia  o ponto onde se encontra esse anjo belo
co'as correntes mentais benignas do cosmo;
ou faz então  que se juntem   mentes encantadas igualmente.
Assim, enfim, caso haja o metafísico, a união benévola das ondas que há nas mentes
fará que vejamos que não há linha qualquer que o separe do que é físico,
e a poesia assim será um dos tantos reveladores elementos
que fará que enfim nós enxerguemos
que a Lua e os homens, a Terra e os bichos, que o Universo
somos um só.