Google+ Followers

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

PROFUSÃO DE SENTIMENTOS

Choro quase nunca e quase nada,
Mas tenho sentimentos abundantes como vendavais e tempestades:
Amores na sofreguidão mais inteira, imensurável,
Na ternura protetora dos pais mais extremosos,
Tristezas, desalentos de trazer amor à morte,
Ódios carregados dos desejos mais malditos,
As mais vivas, retumbantes alegrias.
Choro quase nada e quase nunca,
mas meu peito é a profusão dos mais acesos sentimentos.

2011

Nenhum comentário: