Google+ Followers

quinta-feira, 9 de abril de 2009

SERENATA

Serenata,
o canto
suave
em lamento,
em súplica.
Violão,
acordes
cortantes,
a música,
a voz...

O canto
pedinte,
os sons,
a noite,
a música,
as cordas...
as cordas...!
Acordas
e vês
que tudo foi sonho,
apenas um sonho,
não mais do que um sonho,
mulher tão sozinha...

Debalde
tu tentas
dormir novamente,
viver noutro sonho
a tal serenata
que nunca existiu,
a tal esperança
que sob a janela
jamais te cantou.

2009

Nenhum comentário: