Google+ Followers

sábado, 10 de setembro de 2011

ADEUS

Adeus.
Ouvirei sua voz nos ventos,
Sentirei seu calor ausente
Nas noites de inconsolável tristeza.

Adeus.
Sentirei seu perfume leve,
Reverei o seu rosto belo
Onde você jamais estará.

Adeus.
Reviverei os momentos doces
Gravados na minha mente
E impossíveis de retomar.

Adeus.
Vou seguir tão somente a vida
Qual graveto ao sabor das águas,
Como um vulto perambulante,
Sem saber se pra sempre ou não.
Adeus.

2011

Nenhum comentário: