Google+ Followers

sábado, 22 de maio de 2010

SE VOCÊ QUISER (VOZ DO DESENCANTO)

Se você quiser,
tenho um texto cru de descrença e tédio
embebido da monotonia e mesmice dos dias
e das vivências que não dão espaço à ilusão.

Se você quiser,
tenho versos sem lira e sem dança,
mas pejados de enfado e cansaço,
do fastio de andar pelos dias.

Se você quiser,
trago um verbo tão farto de tudo,
da certeza que nada no mundo
possa haver de novo ou diverso.

Se você quiser,
tenho algo que traduz um desejo
de ficar a olhar para o nada
e deixar apenas o tempo passar.

Se então não quiser,
busque um vento de falsa esperança
e embarque na colorida utopia,
ignorando meu discurso cinzento.

2010

Nenhum comentário: