Google+ Followers

sábado, 6 de março de 2010

INCREDULIDADE

Não me negue seu perdão se erro,
Mas não me abandona, Deus, o pensar
Que você é como a miragem que surge
Diante dos olhos do sedento, no deserto.

1975

Este é o meu mais antigo escrito. Não que não tenha havido anteriores. Houve, mas foram rasgados. Este é então o remanescente mais antigo.

Nenhum comentário: