Google+ Followers

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

OS POBRES E O PÁROCO

Naquele cafundó tão quente,
De tanta escassez e seca,
Após assistir ao bizarro
Desfile de tanta miséria,
De tanta tristeza, infortúnio,
O padre daquela paróquia
Indagou num murmúrio inaudito:
"Senhor, perdoai-me a ousadia,
Mas às vezes eu me pergunto:
Amareis de verdade os filhos
Sem posses que vós criastes
Ou pouco vos importais
Com quanto estes sofram no mundo?"

2012

Nenhum comentário: