Google+ Followers

sábado, 27 de fevereiro de 2010

AMAR-TE

Quero te amar, mas amar-te ávida e profundamente,
Com o afã de quem se agarra a todos os cordões da vida,
Numa gana inarredável de querer-se eternizar.
Amar-te num desejo de tornar-me o teu pai, teu homem,
Teu irmão e teu menino
E fazer-te mãe, irmã, amante e minha filha,
Minha menina,
Canção bonita vinda do fundo da noite serena.
O teu olhar de criança me arrebata e faz afável
E tão despido de todas as maldades dos humanos,
E tão carente de me alimentar do teu afeto,
Bela.
Há um lugar imenso no meu peito hoje ressequido
Para ti, que miraculosamente o fará reflorescer.

2010

Nenhum comentário: