Google+ Followers

domingo, 4 de abril de 2010

PARAÍSO II

Quando os meus olhos sequiosos se encontram
com os teus olhos serenos de veludo,
eu me vejo desarmado, indefeso, adolescente,
mergulhado em sonhos, devaneios, em quimera.

Vem, mulher, aconchegar-te em meu abraço:
meu sentimento é um turbilhão de ondas havaiano.
O meu amor é como um transe, tão sereno, delicado
e,assim, se expande e se apossa de min'alma atordoada.

Vem: minha força se alimenta do teu beijo,
o meu corpo se alimenta do teu corpo.
O teu rosto é o mais bonito entre os poemas,
tua presença é o mais sonhado, desejado paraíso.

2009

Revisto e modificado em 2012

Nenhum comentário: