Google+ Followers

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

OUTRA QUASE CANTIGA DE RODA

Se eu fosse o trovador
Das noites estreladas,
Enfeitava o meu caminho
De poemas e de prata.

Se eu fosse o sementeiro
Do amor mais infinito,
Eu plantava a minha estrada
Do feitiço da emoção.

Se eu fosse o mensageiro
Dos deuses do lirismo,
Eu enchia o universo
Dos seus versos mais bonitos.

Se eu fosse um ser errante
Caminhando sob a lua,
Eu da lua então fazia
Um lençol de me aninhar.

Se eu fosse enfeitiçado
Dos olhos da morena,
Eu fazia da morena
Paixão de me entregar.

2011

Nenhum comentário: