Google+ Followers

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

POEMA SINGELO

Eu faço este poema tão singelo
Só prá alma se sentir tão sem pecado
Como riso de criança pequenina,
Como brisa batendo na roseira,
Borboleta voando no jardim.

Eu faço este poema puro e simples
Como nuvens brancas no céu claro
E a beleza da morena na varanda,
Como ave pulando galho em galho,
Como vaso de planta no quintal.

Eu faço este poema leve como névoa,
Alvo qual cantiga de ciranda,
Pra que o peito exale só brandura
E a alma se sinta como brisa
A correr suave como a paz.

2011

Nenhum comentário: