Google+ Followers

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

NÃO SEREI TRISTEZA

Não serei sombrio como a tristeza
De um semblante desolado de saudade.
Não serei lamento onde viceje a primavera
Nem a palidez de um dia deserto.

Não desejarei a morte como à mulher
De rosto mais belo e entranhas mais quentes.
Não me verei vil como um seixo nas ruas
Nem terei n'alma a inércia dos mortos.

Seguirei a vida com gosto e com zelo
E despertarei nas manhãs clareadas.
Sentirei vida nas tardes, crepúsculos,
E à noite dormirei na comum esperança
De um dia vindouro feliz.

2013

Nenhum comentário: