Google+ Followers

sábado, 8 de setembro de 2007

ANSEIO DE AUSÊNCIA

Partir daqui para o longínquo,
Tornar este lugar irretomável
Como os dias que ficaram no passado.
Tornar os momentos de hoje tão distantes,
Que eu os possa esquecer inteiramente.


Partir tão completa, totalmente,
A ponto de me diluir e desfazer-me.
Evaporar na memória das pessoas.
Eu, volátil, vago, disperso e sem forma
Na mente dos que eu deixe para trás.


Distante, inacessível, vivo ou morto – não importa!
Mas distante, inalcançável,
Em lugar tão diferente,
Em um tempo tão diverso,
Que eu me esqueça destes anos
E também destes lugares,
Que me esqueça de mim próprio
Para todo, todo o sempre.


1997

Nenhum comentário: