Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2007

TUA IMAGEM

Negra, hoje, a manhã cantou alegre
ao passares por teu negro,
sob o sol, toda formosa,
e, ao passares, tão viçosa
e tão viva, e tão bela,
percebi, eras o sol.

Quando passas, me arrebatas,
porque bebo tua imagem,
tua imagem me extasia,
teu olhar me hipnotiza,
pois teus olhos são os olhos
imantados da serpente.

Tuas formas, que me  atiçam
são tal como a primavera
assanhando a própria vida.
Os teus olhos me conduzem
à mais doce das quimeras,
e eu te quero como a planta
quer a água, o ar, o sol.

1990