Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2007

SUBLIMES ANIMAIS

Ladrem, doces cães vadios,
Chilrem, belos pardais errantes.
Animais de todo tipo,
Animais de todo o mundo,
Quão sublimes são vocês!

Com fastio e com escárnio,
Festivais da hipocrisia,
Desfiles de falsidades
Vi, querendo adormecer.

Vi canalhas pelos becos
E também em gabinetes,
E também em todo canto,
E são eles tão inúmeros...

Aquele brilho escarlate
Que traduz pura maldade,
Que traduz sede de sangue,
Vi nos olhos do bandido,
Vi nos olhos do mocinho.

Frigidez, indiferença,
Egoísmo odioso
Há no ar dos poderosos
Ante a fome e a miséria
A matar seres humanos,
A matar tantas crianças,
Vidas breves nos infernos.

Doces cães, belos pardais,
Animais de todo tipo,
Animais de todo o mundo,
Quão sublimes são vocês!

1993






Ladrem, doces cães vadios,
Chilrem, belos pardais errantes.
Animais de todo tipo,
Animais de todo o mundo,
Quão sublimes são vocês!


Com fastio e com escárnio,
Festivais da hipocrisia,
Desfiles de falsidades
Vi, querendo adormecer.
Vi canalhas pelos becos
E também em gabinetes,
E também em todo canto,
E são eles tão inúmeros...


Aquele brilho escarlate
Que traduz pura maldade,
Que traduz sede de sangue,
Vi nos olhos do bandido,
Vi nos olhos do mocinho.


Frigidez, indiferença,
Egoísmo odioso
Há no ar dos poderosos
Ante a fome e a miséria
A matar seres humanos,
A matar tantas crianças,
Vidas breves no inferno.


Doces cães, belos pardais,
Animais de todo tipo,
Animais de todo o mundo,
Quão sublimes são vocês!