Google+ Followers

sábado, 8 de setembro de 2007

VERSOS COM OLHOS DUROS DE PEDRA

Escrevi pra vocês uns versos
Que falam de minha visão do mundo.
Versos que não encerram beleza,
Versos que não sugerem leveza
Ou que possam a alma adoçar;
Mas que foram escritos co’a tinta
Da nua, crua, perversa,
Da fria realidade.


Versos sem sonho, esperanças ou o riso
Mais tímido entre todos os risos;
Versos que nada desejam,
Mas que somente constatam.
Versos despidos de adornos,
Versos tão duros e ríspidos,
Que nem ousam se lamentar,
Que não sabem sequer prantear.


Versos cruéis de tão rudes,
Cruéis como o médico que anuncia
Ao paciente a proximidade da morte.
Versos com olhos duros de pedra
E com certo rubor de ódio;
Versos de carrancudo semblante,
Versos de impiedosa verdade.


2001

Nenhum comentário: