Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2007

AQUELE TEMPO

Ah, aquele tempo
perdido
no tempo,
na turbulência dos dias...
Ah, aqueles dias
perdidos
entre os dias,
no emaranhado do tempo,
no embaraçado dos dias...
Ah, como dói a saudade!
Ah, me enlouquece o afã
de retornar ao passado.
Ah, me enlouquece o desejo
de explodir de tristeza,
de mergulhar sobre a morte.


Ah, aquele tempo
tinha gosto de folia,
tinha jeito de licor
e cheiro de paraíso.
Ah, aquele tempo
mais parecia os campos
cobertos de luzes e cores,
mais parecia a aurora
e os raios de sol nos jardins.
Ah, aquele tempo
mais parecia volúpia,
mais parecia o Céu
dos sonhos celestiais dos místicos.


1990