Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2007

IMPLÓRIO

Dias, vida, deixe de maldade:
o meu coração é um tufão dentro do peito:
não me traga ao peito
a calma dos altares,
a quietude das estátuas
desnudas de vida.

1989