Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2007

POEMA ARCÁDICO

Enquanto eles amam poder e fortuna
e atingem orgasmos só em imaginar
o quanto podia Alexandre, O Grande,
os imperadores de ontem e de hoje,
o que eu mais quero é o doce do beijo
da linda cabocla que encontro ao crepúsculo,
no portão desbotado da casa singela.


Enquanto eles sonham viajar nas galáxias,
pisar em Saturno, em Marte e em Júpiter,
eu nada desejo senão me sentar
à beira de um córrego, os pés dentro d’água,
os olhos mirando uma borboleta que pouse na relva,
descanse um momento e saia a voar.


Enquanto eles querem viagens compridas, voar supersônico,
viver em Paris, em Roma., Zurique, New York e em Londres,
só quero uma estrada que seja de terra e que leve a um rancho;
do rancho, à noite, ao canto dos grilos,
contemplar as estrelas, a sublime beleza da lua distante
luzindo no céu.

1995